ASSPROM | Cidadania Honorária
25542
post-template-default,single,single-post,postid-25542,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-1.9,wpb-js-composer js-comp-ver-4.6.2,vc_responsive

Cidadania Honorária

Cidadania Honorária

17:34 20 junho em Noticias
0 Comentários

Por iniciativa do deputado Arnaldo Godoy, a Câmara Municipal de Belo Horizonte homenageou com o Título de Cidadão Honorário de Belo Horizonte, o advogado e presidente da Assprom, Carlos Augusto de Araújo Cateb. A sessão solene para a entrega do título foi realizada no dia 15 de junho, no Palácio Francisco Bicalho. O projeto de lei que confere a honraria foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

Compuseram a mesa solene: o presidente da Assprom, Carlos Augusto de Araujo Cateb, acompanhado de sua esposa Carmen Correia da Costa Cateb; o deputado Arnaldo Godoy; o vice-presidente da Assprom e vice-reitor da UEMG, José Eustáquio de Brito; o juiz presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Fernando Galvão da Rocha; o superintendente da Caixa Econômica Federal, Ademir Losekann, representando o presidente da Caixa, Gilberto Occhi; o desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Wagner Wilson; o presidente da OAB de Minas Gerais, Antônio Fabrício de Matos Gonçalves; o vereador Pedro Patrus; e a adolescente trabalhadora Nathália de Almeida Martins.

Na ocasião, a Orquestra Jovem da Coordenadoria da Infância e da Juventude (Coinj/TJMG), sob regência de Luciene Villani,  executou o Hino Nacional Brasileiro e as canções Rondó Abdelazar (Henry Purcell), 21 Guns (Green Days) e Star Wars (John Williams). A orquestra é uma parceria entre Assprom e Coinj/TJMG e conta, atualmente, com 26 adolescentes trabalhadores e aprendizes da Associação.

O deputado Arnaldo Godoy destacou, em seu discurso, a biografia do homenageado. “O Cateb traçou no início de sua vida, de sua caminhada, essa trajetória bonita. Defendeu os presos políticos, perseguidos no Golpe Militar de 64. Só por este início de sua caminhada, você já merecia essa homenagem, Cateb. Em tempos tão duros você teve a ousadia, a coragem e a determinação de enfrentar a ditadura e não foi fácil! Por isso e por muito mais que você foi construindo a Assprom, exercendo várias funções ali dentro como vice e como presidente, acolhendo essa moçada. Então, só por essas duas coisas, o Cateb já merecia o Título de Cidadania de Belo Horizonte”, frisou.

O vice-presidente da Assprom, José Eustáquio de Brito, cumprimentou os presentes e os participantes da mesa e falou de sua trajetória como adolescente trabalhador. “Eu estive na Assprom de 79 a 82 e costumo dizer sem falsidade, sem super dimensionar, que essa trajetória foi fundamental para explicar o que sou hoje. Com 52 anos, próximo de 53, sou professor da Universidade do Estado de Minas Gerais, sou vice-reitor da universidade, mestre e doutor em educação e isso tudo se deve, sem dúvida nenhuma, ao ponto de partida que se iniciou na minha vinculação à Secretaria de Educação e à Assprom. Queria te agradecer muito Cateb. Agradecer de coração pelo o que você faz, pelo o que você fez na minha vida, na vida de tantos outros, e pelo o que você tem feito na vida de tantos adolescentes e jovens nessa cidade de Belo Horizonte. Belo Horizonte se orgulha de ter você como cidadão honorário. Um grande abraço”, ressaltou.

A adolescente trabalhadora Nathália Martins falou em nome de todos os jovens da Assprom. “Agradeço a oportunidade de estar aqui. Primeiramente, quero agradecer ao Dr. Cateb por ter a oportunidade de estar trabalhando na Assprom e por todas as oportunidades que a entidade tem dado para os jovens, como os cursos”, contou.

O presidente da OAB, Antônio Fabrício Gonçalves, também parabenizou o presidente pelo título, citando a canção Clube da Esquina II, de Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges. “´E o que se chamavam homens, também se chamavam sonhos e os sonhos não envelhecem’. Você saiu do Maranhão. Se identificou com Minas, se identificou com a poesia de Minas, com as lutas do Brasil. O Cateb dos direitos humanos, o Cateb da OAB, o Cateb da Assprom, o Cateb de Minas, o Cateb do Brasil e o Cateb hoje de Belo Horizonte. É um dia extremamente especial para pessoas especiais como você”, ressaltou.

O desembargador Wagner Wilson também parabenizou o presidente e lembrou da parceria com a formação da Orquestra Jovem. “Junto do Cateb pudemos fazer esse trabalho com os adolescentes da Assprom. Sinto muito orgulho, muito honra de ser hoje o seu concidadão”, salientou.

O superintendente da Caixa Econômica Federal, Ademir Losekann,  também saudou o presidente. “Parabenizo mais uma vez o Dr. Carlos. Por tudo que eu pude observar e ver é um exemplo realmente em ser um cidadão honorário de Belo Horizonte e ser um cidadão honorário do Brasil. Meus parabéns”, afirmou.

O juiz presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Fernando Galvão da Rocha também se pronunciou: “Fico muito honrado de participar deste momento de estar sendo testemunha desse trabalho tão lindo e importante”.

Ao final, Carlos Cateb encerou a solenidade e disse que é com muito orgulho que recebe a enobrecedora homenagem de Belo Horizonte. “Gostaria de declinar o nome de cada pessoa presente e que abrilhanta esta solenidade. Sensibilizado e encorajado por vocês prometo que não me faltarão forças e entusiasmo para continuar lutando por uma igualdade de direitos e justiça social verdadeira e real”, comemorou emocionado.

Sobre o homenageado

Natural de Codó/MA, Carlos Cateb é advogado e está radicado em Belo Horizonte há mais de 30 anos. Aqui se firmou, constituiu família e adentrou ao mundo do Direito. Advogou, maioria sem cobrança de honorários, para presos políticos nos anos de 1967 a 1978. Foi um dos primeiros advogados, no Brasil, a denunciar, por escrito e na tribuna da 4ª. Auditoria Militar, as torturas dos presos políticos.

É associado voluntário na Associação Profissionalizante do Menor, entidade que há 40 anos executa projetos e programas de aprendizagem e profissionalização. A Associação viabiliza a inclusão social de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social através do primeiro emprego assistido e acompanhamento assistencial/técnico.

Sem Comentários

Adicione um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On InstagramVisit Us On Linkedin