ASSPROM | Dias quentes e chuvosos pedem atenção redobrada contra o mosquito da dengue
29995
post-template-default,single,single-post,postid-29995,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-1.9,wpb-js-composer js-comp-ver-4.6.2,vc_responsive

Dias quentes e chuvosos pedem atenção redobrada contra o mosquito da dengue

Dias quentes e chuvosos pedem atenção redobrada contra o mosquito da dengue

16:15 21 Fevereiro em ASSPROM, Noticias
0 Comentários

Verão, calor, período de chuvas e mosquito Aedes aegypti! Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES), só nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, o número de casos de dengue já representa 80% do número total de casos de 2018. Já são mais de 23 mil casos confirmados e sete mortes causadas pela doença. Ao todo, em 2018, foram registrados 30 mil casos e nove óbitos. A SES ressalta que o aumento de casos se deve ao período de muito calor e de chuvas intensas e enfatiza que a população deve intensificar os cuidados e as medidas preventivas.

O principal foco das campanhas feitas pelo Ministério da Saúde, SES/MG e Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) é a extinção dos criadouros do mosquito. A eliminação desses focos deve ser constante, pois os ovos podem ficar até 450 dias (quase 1 ano e três meses) em locais secos esperando as próximas chuvas para eclodirem. É importante saber que o Aedes coloca seus ovos em qualquer tipo de água, seja limpa, suja ou turva e em qualquer nível, não havendo a necessidade de profundidade. Por isso, a população tem participação fundamental no combate ao mosquito, ao eliminar água parada e acumulada em qualquer tipo de objeto.

O Aedes aegypti transmite quatro tipos de doenças: dengue, febre amarela, chikungunya e zika. Em muitos casos, a gravidade dessas doenças pode ser fatal. Além disso, a zika em mulheres grávidas pode causar a microcefalia em bebês recém-nascidos.

BH SEM MOSQUITO

Em dezembro de 2018, a PBH lançou o aplicativo ‘BH Sem Mosquito’, ferramenta que tem o objetivo de avisar o cidadão sobre o dia de eliminação de focos em sua casa. O app é simples, de uso descomplicado. No aplicativo, o usuário pode, também, acessar o mapa de ações realizadas pela Prefeitura, saber mais informações sobre o mosquito e sobre as doenças que ele transmite. É gratuito e está disponível em Android e IOS.

FEBRE AMARELA

Também transmitida pelo Aedes aegypti, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, que pode matar. Em Minas, a Secretaria alerta para a vacinação, que faz parte do calendário desde 2008 e é recomendada para quem morar no Estado e para quem está vindo para cá. Mais de 3 milhões de mineiros ainda não se vacinaram. A vacina está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). Os principais sintomas da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. Na forma mais grave da doença, podem se manifestar insuficiências hepática e renal e manifestações hemorrágicas.

O carnaval está chegando, muitas pessoas vão viajar, não deixem de se vacinar!

 

Sem Comentários

Adicione um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On InstagramVisit Us On Linkedin