ASSPROM | O combate ao mosquito da dengue deve continuar durante todo ano
28735
post-template-default,single,single-post,postid-28735,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-1.9,wpb-js-composer js-comp-ver-4.6.2,vc_responsive

O combate ao mosquito da dengue deve continuar durante todo ano

O combate ao mosquito da dengue deve continuar durante todo ano

12:39 13 Março em ASSPROM, Noticias
0 Comentários

Belo Horizonte e Região Metropolitana estão sofrendo vários transtornos por causa das fortes chuvas dos últimos dias. É preciso tomar diversos cuidados para não ser surpreendido durante as tempestades. Com a chegada do outono, no dia 20 de março, as chuvas devem diminuir e começamos o período mais seco na região Sudeste do Brasil.

Mas, não devemos esquecer de um outro problema trazido pelo período chuvoso: a proliferação do mosquito Aedes aegypt. A prevenção e os cuidados devem ser constantes, mesmo no período mais seco.

O Aedes aegypt é transmissor de quatro doenças: dengue, chikungunya, zika e febre amarela (somente esta possui vacina no SUS). Essas doenças são graves e podem ser fatais se não forem descobertas e tratadas a tempo.

Os casos de febre amarela têm tido maior relevância na mídia, devido ao número de mortes causadas pela doença, 260 em todo país, segundo dados do Ministério da Saúde. Em Minas Gerais, mais de mil casos foram notificados.

Por tudo isso, é preciso continuar evitando a água parada nas casas e denunciar focos de criadouro do mosquito. Além disso, é muito importante se vacinar contra o vírus da febre amarela. Vários postos de saúde, na capital e região metropolitana, ampliaram o horário de atendimento até às 21h. Verifique no site https://prefeitura.pbh.gov.br/index.php/saude/febre-amarela ou na regional mais próxima de sua residência e não deixe de se vacinar. Saúde é coisa muito séria.

Diante desse quadro e consciente do seu papel de formadora de jovens, a Assprom tem realizado, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, campanhas de combate ao mosquito e de alerta sobre os principais sintomas dessas doenças.

A Secretaria de Estado de Saúde Minas Gerais, também parceira da Associação, vem realizando diversas ações de enfrentamento à febre amarela nos municípios. Destaque para a ampliação do atendimento de vacinação para crianças com alergia ao ovo. Mais informações podem ser obtidas no site: www.saude.mg.gov.br/febreamarela

Macacos

Os macacos têm sido apedrejados e mortos por serem considerados, equivocadamente, transmissores da febre amarela. Eles não são. Na verdade, ao ficarem doentes, eles nos alertam sobre o foco da doença naquela região. Não mate e nem apedreje macacos! Quem comete maus tratos e violência contra animais silvestres pode ser punido até com pena de reclusão!

Sem Comentários

Adicione um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On InstagramVisit Us On Linkedin